Alimentação Natural e o Consumo de Água

Uma das consequências mais rapidamente visíveis da mudança para a alimentação natural é uma diminuição aparente do consumo de água. Dizemos “aparente” porque na verdade o que acontece é que o peludo continua ingerindo a mesma quantidade de água, ou em muitos casos até mais, só que agora parte dela vai junto com a comida. Por isso não há motivo para preocupação.

Nosso planeta, e a maioria dos organismos vivos são compostos por em torno de 70% de água. Nos mamíferos, do menor ratinho ao elefante, passando pelos golfinhos, esse percentual varia de 60 a 75%. Humanos adultos têm em torno de 65%, cães e gatos também.

Já os vegetais e alimentos cozidos normalmente têm um pouco mais. O arroz cozido tem 85% de umidade, a cenoura também. A carne e o frango cozidos tem em torno de 70%, o repolho e o alface em torno de 90% e a abobrinha 93%!

Mesmo assim, é preciso beber água fora das refeições porque, fora a perda natural do organismo e a transpiração, precisamos compensar os alimentos secos, como pães, biscoitos, castanhas, que comemos. No caso dos peludos, eles também perdem água naturalmente e pela transpiração (que é pela boca quando arfam e pelas almofadas das patinhas), e mesmo os que comem alimentação natural normalmente ganham biscoitos e outros petiscos secos. Por isso é importante ter sempre água limpa e fresca à sua disposição. Uma boa forma de “medir” se o consumo de água está bom é observar os xixis. Eles devem ser claros, transparentes e numa boa quantidade.

No caso dos gatos, por exemplo, que são animais de deserto e transpiram muito pouco, é preciso incentivá-los a beber água, pois não é um comportamento natural para eles. No deserto eles tiram quase toda a água dos alimentos, que são pequenos pássaros e roedores. Então, principalmente se seu gato não se alimenta exclusivamente de alimentação natural, é importante descobrir o que pode animar seu felino a beber mais água e usar. Uns gostam da torneira pingando, outros de pequenas fontes, outros de pedras de gelo boiando a água, vale testar de tudo e usar o que funcionar.

Já os cães, por transpirarem mais e serem mais calorentos, costumam beber água com mais facilidade, então geralmente só manter uma vasilha com água sempre fresquinha e limpa basta para incentivá-los.

Então, para resumir: se seu peludo come alimentação natural, sua necessidade de beber água fora das refeições será bem menor do que se ele come ração, mas continuará existindo de acordo com o grau de exercícios do dia e a temperatura ambiente. Sempre vale a pena incentivar a consumo de água, mas não precisamos nos preocupar demais se ele come comida de verdade. Num dia frio, por exemplo, quando ele fica enroladinho em sua caminha dormindo a tarde toda, será natural que ele quase não beba água extra. Já num dia de sol e muito passeio, vale hidratar ao máximo.

 

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *